Post 300 – Análise: Amazing Spider-Man (filme)


Primeiro recado: POST DE NÚMERO 300 DO BLOG, CARAI!

Há algumas coisas que vem para o bem. Apesar de ter sido um sucesso comercial quando lançado, Homem-Aranha 3 não agradou a muitos dos fãs, que foram agraciados com um Aranha Emo, Venom Magrelo (quem tem um mínimo de noção dos quadrinhos, ou assistiu a série dos anos 90), sabe que após ter sua vida desgraçada pela ambição (e involuntariamente pelo Homem Aranha), Eddie Brock começou a fazer musculação e ficou forte, mais ainda ao se unir ao simbionte que o tornou Venom, além de coisas que reclamamos há dois filmes, como a Mary Jane insossa de Dunst. E apesar dos planos de um quarto filme do Homem Aranha, com o mesmo elenco terem sido feitos, eles foram descartados em prol de um reboot na franquia cinematográfica. Será que vai? Bem, lá se foram cinco anos desde Spider-Man 3, veremos se Amazing Spider-Man fez valer a pena a espera e o cancelamento de Spider-Man 4.

Amazing Spider-Man

Ano: 2012

Diretor: Marc Webb

Elenco: Andrew Garfield, Emma Stone, Martin Sheen e Rhys Ifans

Atenção: Leves Spoilers da Trama a seguir

Peter (Garfield) trollando Flash (Zylka)

O filme, resolveu, assim como Batman Begins fez em 2005 recontar a origem do Homem Aranha, mas devidamente adaptado a realidade atual. Peter Parker era um nerd um tanto atrapalhado (nem tanto), com certo talento para fotografia acaba sendo picado por uma aranha radioativa. Com isso, ele ganha habilidades sobre humanas e após a morte (não é spoiler, todo mundo já sabe que isso aconteceu) de seu tio Ben, decide se tornar um combatente do crime, e se denomina Homem-Aranha. Alheio a isso, ele tem que lidar com a ameaça do Lagarto, e com os problemas de ser um herói, como os riscos que sua Namorada Gwen Stacey pode correr.

O primeiro beijo entre Gwen (Stone) e Peter

O filme pode até exagerar um pouco nas leis da conveniência (Códigos importantes nas mãos de uma estagiária?), mas isso pode ser relevado. Assim como (mais uma vez) em Batman Begins, o personagem Homem Aranha não é 100% do foco do filme, mas sim no surgimento do mito, a partir de Peter Parker. Peter tem que aprender a lidar com seus sentimentos por Gwen, com a cagada que gerou Lagarto, com o peso da responsabilidade pela morte do seu tio e com os ovos de sua tia. Se você não entendeu esta última referência, por favor, assista ao filme, e quando terminar, volte aqui e ria da piada.

Chega de Teias organicas! Aqui, o gênio de Peter é que cria os cartuchos de teia

A ação ainda está lá, mas de forma reduzida, tendo base na caçada de Peter ao assassino de seu tio, e as incursões do Lagarto. As cenas estão bem feitas, e o vôo da Teia (retornamos aos cartuchos de Teia, nada de orgânicos aqui) tem algumas sequências em primeira pessoa, que bem… Dão uma variedade maior ao tocante. Quem conhece o personagem, sabe que o Aranha é um herói (apesar de mal pago) bem humorado, e vez ou outra está disparando uma piadinha, mas em grau menor do que costumamos ver, nada que prejudique, mas algumas cenas são hilárias.

Troca de Porradas entre O Aranha e o Lagarto

Como havia dito há dois parágrafos atrás, o foco do filme é mais no personagem, e Peter tem que lidar com as consequências de suas ações, sendo boas ou ruins. Isso é bem exemplificado em duas situações, quando Peter não ajuda o lazarento da loja assaltada e o assaltante acaba matando seu tio, e quando ele evita de ir atrás do Lagarto para salvar uma criança, salvamento esse que gera um evento mais próximo ao fim do filme.
No tocante das atuações, Andrew Garfield (Que fez o papel do Brasileiro co-fundador do Facebook no filme “A Rede Social”) está muito mais convincente como Aranha que Maguire foi em 3 filmes e nem parece ser quase um trintão ao interpretar um Peter Parker adolescente (o cara tem 28 ou 29 anos). Martin Sheen (A Voz e a Interpretação do Illusive Man na série Mass Effect – Mais especificamente os episódios 2 e 3) está realmente um Tio de verdade como Ben Parker, Rhys Ifans mostrou versatilidade ao dar as duas facetas diferentes de Connors (o cientista correto e o louco corrompido) e Emma Stone fez uma excelente Gwen (bem melhor que a de Spider-Man 3, que estava lá só pra decorar), dando o tom inocente, porém decidido da personagem. Aliás, a química entre Garfield e Stone como Peter e Gwen foi muito mais convincente do que a entre Maguire e Dunst como Pete e MJ (por favor, apaguem as atuações daquela insossa como MJ, ela não é nem 1/10 da personagem real). Aliás, o primeiro beijo entre Gwen e Peter foi mais bobinho que o de MJ e Peter, mas muito mais verídico e inocente de certo modo. Ah, e pra quem gosta dos Cameos do mestre Stan Lee, o deste filme é o melhor de todos, com certeza!
Como a versão que eu assisti era dublada (e ao contrário de muita e muita e muita gente CHATA PRA CARALHO, eu não vejo problema algum em ver dublado, principalmente numa era aonde as sessões legendadas contam com legendas BRANCAS e SEM CONTORNOS), falemos aqui sobre a adaptação nacional do filme, o filme foi traduzido pelo Peter Parker e dirigido (a dublagem) pelo Peter Parker. Ok, essa foi uma piada para quem conhece dublagem, pois foi Manolo Rey (O Peter da trilogia do Maguire) quem dirigiu o elenco, e a tradução ficou a cargo de Sérgio Cantú, que também deu a voz ao Aracnídeo na película, e se saiu muito bem, obrigado. Todo o tom, trejeitos e entonações do personagem foram bem feitas, o resto do elenco também foi bem escolhido e suas vozes encaixaram bem em seus respectivos papéis, não fazendo feio.

Finalizando, Amazing Spider-Man não faz questão de ser o melhor filme de Super Heróis do mundo, e com certeza não vai agradar a todos por conta de sua pegada mais psicológica (O discurso do Tio Ben no telefonema para Peter frisa essa característica), mas ele ganha pontos em trazer a origem do Aranha de uma maneira mais bem construída que seus antecessores e por trazer uma Gwen Stacey que não seja uma Attention Whore! Spider-Man 3, EU TE ODEIO!

Extra:


Não, você não é, seu palerma!

Extra 2:

Como a versão de PC sai agora em agosto, só lá, teremos uma análise (estou com medo de jogar a versão de DS, já que é do mesmo estúdio do Edge of Time de DS, que é cabroso)

Post seguinte
Deixe um comentário

2 Comentários

  1. ainda verei esse filme, e prefiro o Peter com cartucho de teias, no outro achei esquisito a teia saindo pelo pulso. e coitado do Tobey Maguire. hahahahha. não dá para culpá-lo, no primeiro e segundo filme vá lá, mas no terceiro que lascou a trilogia toda….

    que nem Mass Effect.

    Responder
  2. paulo

     /  2012/12/06

    Não você não é ? Ficou maluco ????

    Com toda a certeza ele é ! o Tobey é o verdadeiro homem aranha, o Garfield é só um cara com cara de moleque punheteiro , o filme é horrivel e ele é um péssimo ator. Se fosse pra dar nota eu dava um 0 tatuado na testa dessa porra de novo homem aranha.

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s