Trilogia Donkey Kong Country: Um olhar crítico sobre a série!


Recentemente, quem me tem no Facebook me ouviu falar que terminei Donkey Kong Country 3 no GBA (na verdade usei a entrada pra GBA do meu DS :p), e comecei a escrever um review, mas parei por motivos de força maior (vulgo preguiça e coisas do serviço, tanto de trabalho quanto de tradução). E decidi também que só irei escrever os reviews da trilogia DKC pro GBA quando eu terminar os 3 (Atualmente estou jogando DKC 1). Mas, por alguma razão desconhecida, decidi escrever um mini especial sobre a trilogia da Rare. Como é um mini especial, não espere informações detalhadas, coisas de bastidores, aliás, não esperem por porra nenhuma interessante, apenas minha opinião sem importância e comentários sobre bons tempos. Maaaas, vamos em frente!
Começando voltamos no tempo, com os 3 arcades que deram origem ao personagem: Donkey Kong, Donkey Kong Jr. e Donkey Kong 3. Os 3 convertidos para variadas plataformas dos anos 80. Apesar de serem muito simples, o 1 e o 2 são jogos especialmente competentes, já o terceiro é tão chato quanto cliente indeciso na sua frente com fila enorme atrás dele. Depois disso (e de DK Jr. Math), Donkey Kong ficou um tempo no limbo até ser ressucitado em Super Mario Kart. Pouco tempo depois…
Donkey Kong Country (1994)

A Rare, produtora de excelentes games, usou uma tecnologia inovadora para dar vida ao fantástico universo da série. Com um enredo basicamente simples (O estoque de bananas de Donkey Kong foi roubado, e DK e Diddy parem em busca dele), e jogabilidade igualmente simples e sem firulas de Plataforma, o jogo decidiu o duelo SNES x Mega. O visual embasbacante e a trilha sonora fantástica de David Wise foram igualmente impactantes no resultado final.

Para Mim:

Donkey Kong Country não é o meu favorito da série (esse posto é de DKC 3), mas o meu segundo favorito. Lembro da minha doce época do SNES, e alugava esse jogo com uma certa frequência, revezando com os amigos, conseguimos zerá-lo. Tenho um carinho muito grande por ele.
Donkey Kong Country 2 (1995)

Uma sequência aumentada, melhorada e tudo o que havia de bom em DKC, melhorou em sua sequência, os níveis estão mais criativos, o desafio maior e o mundo secreto é algo do caramba. O roteiro é simples, e por si só funciona. DK foi sequestrado, e Diddy tem que ir ao seu resgate, com a ajuda de sua namorada Dixie. Apesar de não ter o mesmo número de vendas de DKC, é considerado (justamente) por todos os fãs como o melhor da série. As músicas estão mais inspiradas ainda, o que por si só já vale a jogada.

Para Mim:

Eu considero Donkey Kong Country 2 o melhor da trilogia, mas ele não é meu favorito pelo fato de eu não ter jogado tanto ele como DKC 1 ou DKC 3 na minha infância/adolescência, o zerei com a ajuda do meu (na época) cunhado. Preciso passar mais tempo com ele.

Donkey Kong Country 3 (1996)

O jogo adquire um ar maior de exploração, com colecionáveis pelo mapa mundi, veículos e mundos secretos. Donkey Kong Country 3 tinha tudo para ser o melhor da saga, mas não tem estágios tão criativos como os antecessores (apesar de ainda serem bons), as músicas são boas, mas não tanto quanto as de DKC 2. O roteiro segue o mesmo esquema dos anteriores, dessa vez DK e Diddy foram raptados, e Dixie, com a ajuda de Kiddy Kong tem que resgatá-lo. O jogo tem seus momentos criativos e motivadores para explorá-lo. Não marcou tanto por focar demais nos colecionáveis para finais.

Para Mim:

É o meu favorito. Sei que não é o melhor (DKC e DKC 2 são melhores), mas o tempo que passei com DKC 3 foi inesquecível, a bela trilha do jogo, a sensação de progredir fase a fase e derrotar os chefes descobrindo seu padrão de ataque. Não é a toa que foi o primeiro que joguei na jornada DKC do GBA. Será sempre o meu favorito.
Adaptações:

Os três jogos receberam adaptações para o Game Boy Monocromático, chamados Donkey Kong Land 1, 2 e 3 que se aproveitavam dos layouts das fases e criavam estágios novos. O primeiro DKC ganhou uma nova adaptação pro Game Boy Color, dessa vez sendo uma adaptação mais literal e adicionava um estágio novo. Desses 4 jogos, apenas o DKC de GBC foi testado por mim (antes da tela de cima do meu DS dar pau).
A trilogia revivida:

Entre 2003 e 2005, os 3 jogos receberam ports para o GBA (como muitos jogos do SNES), falemos um pouco sobre eles.
Donkey Kong Country (2003)

Graficamente, a paleta de cores está um pouco mais clara que a original, e infelizmente não tem o estágio novo do GBC, porém, há dois minigames novos e a possibilidade de salvar a qualquer instante, e não somente nos savepoints como no original. A trilha é a mesma do SNES (as faixas), porém adaptada para o GBA, ficou um pouco estranho, mas ainda estão boas e reconhecíveis.

Donkey Kong Country 2 (2004)

A palheta de cores está mais clara que a original, o mapa mundi foi reformulado levemente (talvez devido as dimensões do GBA) e há novos minigames extras. As músicas seguem o mesmo tom do DKC 1 de GBA, as mesmas do SNES, mas adaptadas ao GBA

Donkey Kong Country 3 (2005)

A paleta de cores também está mais clara que a original, o mapa mundi foi completamente redesenhado (mesmas localizações, mas novo mapa). Adicionaram mini-games para cada veículo adquirido. Há um chefe inédito em um dos mundos, e o chefe original deste tal mundo, foi deslocado. O mundo secreto (no original) agora é acessível normalmente (e estas fases são mais burlescas que as originais) e neste mundo secreto não há mais o confronto no submarino de Kaos, mas sim a luta contra o chefe deslocado. A trilha sonora, com excessão do tema da tela título que se assemelha aos temas originais, foi toda refeita e apesar das músicas funcionarem no jogo, não tem o mesmo clima da trilha original.
O artigo, está incompleto, mas espero editá-lo em breve com o que falta de DKC 2 no GBA. Espero que tenham gostado e até a próxima matéria aleatória sem nenhum motivo aparente!

Deixe um comentário

3 Comentários

  1. também não curto o DKC 1, era difícil demais e não acho o DK muito carismático. para se ter ideia só foi no Mario Kart 64 que senti alguma simpatia por ele. já o DKC 2 com Diddy e Dixie foi o que mais zerei. com a Dixie na equipe, as fases mesmo difíceis, ainda tinha alguma folga com ela. o DKC 3 também joguei bastante. acho Kiddy Kong melhor que o DK e olha que os movimentos são quase iguais.

    Responder
    • Kyo

       /  2012/06/30

      Na verdade eu curto bastante o primeiro DKC, aluguei bastante. Mas o DKC 3 passou muito mais tempo comigo pq ele era emprestado de um amigo da família.

      Responder
  1. History Lesson: Donkey Kong Country 3

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s