Virtua Tennis 2009 (Multiplataforma)


É difícil manter uma franquia no topo, especialmente quando ela se trata de algum esporte. Podemos tomar como exemplo, as séries FIFA e Pro Evolution Soccer/Winning Eleven. No fim dos anos 90, a supremacia de FIFA era evidente, já que a franquia se consolidou nos 16 bits e teve seu auge em Fifa 98, mas Winning Eleven tomou o posto no início dos anos 2000, com as versões 4, 2000 e posteriormente a 2002. Aí, depois de evoluir um pouco, ProEvo se estagnou e viu Fifa tomar o trono novamente com as versões 2008, UEFA 2008 e 2009 e agora a série da Konami tem que correr atrás. No caso do Tênis, nunca houve assim, nos anos 90 uma franquia duradoura. Mario Tennis é uma franquia mais do tipo Zuera/Tênis do que Tennis em si.

Aí a SEGA lançou para os arcades, Virtua Tennis (Power Smash! no Japão) e posteriormente para Dreamcast e PC’s, a série agradou pela jogabilidade simples e rápida, sem falhas tão comuns nos jogos de 16 bits (tem jogo que era um caos dar uma raquetada dentro), depois tivemos Virtua Tennis 2, que ficou nos Arcades, recebendo ports para Dreamcast e PS2, posteriormente recebendo uma versão portátil pela Sumo Digital, para o PSP com o nome de Virtua Tennis World Tour. Nesse interim entre VT2 e VT do PSP, a THQ adaptou o primeiro Virtua Tennis para o Game Boy Advance, que mesmo tentando levar a jogabilidade no mesmo estilo do original, tinha gráficos mais feios que bater na mãe com chinelo de madeira.

A série ficou um tempo de molho nos arcades, até que chega em 2006 neles, Virtua Tennis 3, que um tempo depois receberia versões para PS3, Xbox 360 e PC’s. E nesse meio tempo, a SEGA viu a série Top Spin nascer e chegar em sua segunda edição na época e posteriormente a terceira pouco tempo depois de VT 3. E eis que a SEGA anuncia uma ‘atualização’ para Virtua Tennis 3 (e que marcaria a estréia da série no Wii), que não seguiria a numeração oficial da série e nem produzido pelo time responsável pela série (O AM3), mas sim seu ano de lançamento, e tivemos então, Virtua Tennis 2009, é o jogo que será analisado hoje.

Virtua Tennis 2009
Produtora: SEGA
Desenvolvimento: Sumo Digital
Plataformas: Playstation 3, Microsoft Windows, Nintendo Wii, Xbox 360
Gênero: Esportivo (Tennis)

O jogo é uma atualização de Virtua Tennis 3, e no caso, como um jogo esportivo não tem história, o principal dele é o modo World Tour, aonde criando um tenista, será necessário chegar ao topo do Ranking dos Amadores e posteriormente dos profissionais, tornando-se assim uma lenda do Tenis.

Existem cinco modos de jogo, o Exibição, aonde se joga uma partida normal e pode-se customizar as coisas como dificuldade, número de sets e de games e local da partida. O modo Arcade é semelhante ao jogo do Arcade, aonde se enfrenta cinco oponentes em partidas rápidas (1 set de dois games) e após estes, pode-se enfrentar um tenista secreto. O modo de Torneio é semelhante ao de Exibição, mas durando três partidas (quartas de final, semi final e final); Pode-se jogar os mini-games disponíveis no jogo (e que são desbloqueados conforme avanço no modo World Tour) e a cereja do bolo, que é o modo World Tour.

Aqui, o World Tour é herdado de Virtua Tennis 3, aonde se cria um Tenista (homem ou mulher), o que mostra certa evolução em relação a Virtua Tennis 2, aonde se criava um Homem E uma Mulher (e era quase impossível gerenciar as duas carreiras) , e tem que disputar as temporadas almejando o topo dos rankings de amador e profissional, e enquanto isso, treinar para melhorar os status de seu tenista, melhorando sua performance nos mini-games. Pode-se arrumar um parceiro (ganho em partidas especiais), e disputar torneios simples/duplas. E administrar o calendário, sempre atento a datas de competições pelo ranking.

Você também pode customizar seu tenista com roupas adquiridas com dinheiro, equipamentos como raquete nova, e roupas “da zoera” para competir em torneios de “zuera” que existem no calendário. Há a possibilidade de treinos específicos com Tim Henman para melhorar seus atributos, e partidas amistosas para os mesmos fins. Administra a carreira no modo World tour em VT 2009 é mais fácil que em VT 2 por exemplo. Os mini-games não são tão impossíveis, quanto os de VT 2, mas ainda requerem muita paciência.

A jogabilidade continua no estilo Arcade que consagrou a franquia desde o início, com partidas rápidas e velozes a quase 60 Frames por segundo (sem slowdowns, apenas nos menús iniciais da versão PC) com golpes rápidos, divididos em três botões. As câmeras são a clássica superior, uma com meia altura, mais próxima do tenista e uma sob os ombros dele, cada uma delas dá uma visão diferente da quadra, enquanto a superior te dá uma noção de profundidade da quadra, a sob os ombros lhe dá uma noção de altura da bola para um melhor timing da rebatida. No fim, é tudo questão de gosto. Uma coisa muito boa que foi adicionado para as partidas em dupla com a ajuda da CPU, é o controle do estilo de jogo do parceiro, com um botão alterna-se entre jogo no fundo da quadra, mais próximo a rede ou movimentação livre da AI. E acredite, isso fez (na minha opinião), falta em VT4. No Wii ele tem suporte ao Wii Motion Plus.

Graficamente, mantém os gráficos de VT3, que são uma evolução boa em relação ao VT2, mas uma coisa que é latente, é o fraco modo de edição do jogo, e quando comparado um tenista customizado com um tenista profissional licenciado, o abismo nos detalhes é evidente. Não que sejam ruins, mas os tenistas customizados ficam muito ‘iguais’, acho que a SEGA devia ser mais abrangente nesse departamento.

Sonoramente conta com menos músicas que VT2 (que tinha uma trilha muito boa), mas os temas do jogo foram compostos por Richard Jaques, o que garantiu uma trilha bem bacana. Gritos e vozes estão OK, não comprometem e você pode escolher se o narrador vai ser homem ou mulher, o que não faz muuuuita diferença.

Finalizando, Virtua Tennis 2009 vale mais a pena para quem quer ‘atualizar’ seu Virtua Tennis 3 (e poderia ter sido lançado como DLC do mesmo), e curte o lado mais arcade da franquia.

Deixe um comentário

1 comentário

  1. Bacana, não conhecia toda essa história por trás da série. Não sabia que VT World Tour era na verdade o 2, cheguei a jogá-lo no PSP.
    O VT 2009 é muito bom, joguei ele bastante nos últimos anos. Não consegui gostar do Top Spin quanto gostei do VT (não sei explicar o pq disso), mas vc tem razão quando diz que séries de esportes precisam estar sempre inovando ou melhorando pra não serem ultrapassadas por uma série similar de empresa rival. Clássico o caso PES X FIFA.
    O botão de controle de estilo de jogo do parceiro faz MUITA falta no VT4, chego a dar xiliques de ver o parceiro fazendo umas burradas de vez em quando! hahaha
    Abraço

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s