Super Street Fighter IV Arcade Edition


2009 foi um ano e tanto pra Capcom, por assim dizer, tivemos Resident Evil 5, que apesar de fugir das raízes survival horror é um bom título de ação, e se você discorda de mim, é uma bichinha chocolatante que merece ser estuprada pelo Valdomero. E tivemos, claro, a volta de um dos maiores clássicos de luta, com Street Fighter IV, que soube equilibrar o velho e o novo. A Capcom planejava alguns personagens como DLC, mas, por questões de equilíbrio, revisou o jogo todo e lançou em 2010 Super Street Fighter IV, que aumentou e muito o que já era bom em SF IV. E como os arcades foram de onde SF IV veio, a Capcom revisou novamente o jogo e adicionou Yun e Yang (SF 3) em SSF IV Arcade Edition, então exclusivo dos arcades japoneses.
Os fãs fizeram pressão, ameaçaram criar um holocausto nuclear e ressucitar Hitler, se a Capcom não lançasse o jogo pros Consoles, e assim, no meio deste ano, tivemos Super Street Fighter IV: Arcade Edition. Será que o jogo vale a pena o investimento ou é mais uma atitude mercenária da Capcom? É o que vamos descobrir.

Super Street Fighter IV Arcade Edition
Produtora: Capcom
Desenvolvimento: Capcom/Dimps
Plataforma: Playstation 3 (Também para Xbox 360 e PC’s)
Gênero: Luta

Seth, um dos vilões mais perturbadores da história dos games de luta (Junto com Gill, Urien e o Ash de KOF XIII) quer destruir o mundo, ou abrir uma panificadora, ou criar sua religião e ter um programa na TV igual ao R.R. Soares, sei lá. Nunca fiz questão de entender o enredo de Street Fighter, e não vai ser no milionésimo jogo que farei isso. Mas, como o jogo é uma revisão de SSF IV, o roteiro deve ser igual a ele, e raso feito um pires. Quem quiser me contestar, deixa sua bronca nos comentários. E a motivação de Seth, seja lá qual for, é motivo para os 1945 lutadores diferentes de SF trocarem sopapos.

A versão de Consoles de Super Street Fighter IV: Arcade Edition tem duas novidades (personagens) em relação a versão lançada para os Arcades, são elas, Evil Ryu, que é o Ryu após se entregar a energia maligna que tentava controlá-lo na série Alpha, e Oni que é uma versão mais “marvada” do Akuma. Na prática, são apenas mais dois shotokans, com golpes semelhantes aos de Ken, Ryu e os 280 shotoclones da série, apesar da brutalidade visual de Oni, acredite, em alguns momentos chega a ser perturbador. Em sua pose de vitória após vencer os dois rounds, ele pega a cabeça do oponente e bate com ela em algum lugar.

A jogabilidade funciona de forma semelhante a de SF IV, que por sua vez, foi inspirada na do clássico SF II, ou de seu irmão mais novo, SSF II Turbo, com a adição dos especiais. Se você quiser jogar de forma tradicional, pode, mas contra alguém mais “treinado” no jogo, você possivelmente perderá, pois o jogo tem novidades que podem e devem ser exploradas. Primeiramente, há os focus attacks, que funcionam de maneira semelhante aos Parries de SF 3, mas que consistem no uso de dois botões simultaneamente. O domínio dos focus attacks não será de imediato e você levará um bom tempo pra aprender quando usá-los.
Outra novidade, é a barra de EX Attacks/Super Combos, localizada na parte inferior da tela. Conforme golpeia-se o oponente e recebemos dano, ela enche e tem quatro níveis. Quando enche um nível, pode se usar um EX Attack, que é um ataque comum (um hadouken por exemplo) com maior potência. Ou, encher os quatro níveis e usar um Super Combo (O Shinkuu Hadouken do Ryu ou o ShoryuReppa do Ken) para mostrar quem é que manda.


E não é só isso, também há os Ultra Combos, que utilizam a barra de Revenge, localizada ao lado da barra de Ex/Super Combo. Conforme se apanha durante a luta, a barra de Revenge vai enchendo e quando atinge o nível necessário, com um comando (relativamente) simples e usando os três botões (de soco ou chute, dependendo do Ultra Escolhido*), executa-se um devastador combo com uma animação dramática que pode virar a luta a seu favor, e se estiver numa partida contra um amigo ao lado, poderá assistí-lo se enrolar em posição fetal e chorar profusamente enquanto você grita: “QUEM É FODA AQUI? QUEM? SOU EU?” até você lembrar que aquilo pode ter sido um momento de sorte e começar a se preocupar com uma vingança. *Em SF IV, os personagens tem apenas 1 Ultra, e em SSF IV, eles ganharam mais um
Graficamente é um assombro, o jogo utiliza o mesmo motor do SF IV Original, e acredite, de dois anos pra cá, ele continua lindo. O estilo artístico único do jogo e os detalhes de cada cenário são de impressionar, principalmente a quem nunca viu o jogo. As imagens deste artigo falam por si só, a cada personagem tem um trejeito e uma maneira diferente de se movimentar, e acredite, mesmo entre as pelejas, você vai pausar naquele momento com a Chun-li, nem que seja no modo de Treino. NÃO MINTA PRA MIM, EU SEI QUE VOCÊ VAI!
A abertura do jogo deixou um pouco a desejar, mesmo (felizmente) não tendo EXILE na abertura, ficou meio estranha aquela sequência com Ken e Ryu trocando golpes. As animações de introdução e encerramento do jogo ficaram bem legais, fico imaginando como seria uma série nova de Street Fighter em Anime, tipo, baseada nos quadrinhos da Udon, sabe?
As músicas são variadas, por um lado, temos uns temas meio genéricos baseados em techno, gênero que não curto, mas não tenho nada contra, visto que combinado com certos elementos, pode ficar genial. Sabe o tema da Helena em Dead or Alive 2? Aquela mistura de Techno e Violinos ficou show. Mas bem, outros temas do jogo são muitissimo bem executados, sim senhor. E os remixes dos temas clássicos (que são ouvidos em determinadas lutas, Ken Vs Rufus por exemplo) estão muito bem executados. As vozes? Sim, a dublagem ficou boa, tanto em Japonês quanto em inglês, sendo apenas questão de preferência, alguns personagens ficam melhor em inglês, outros em japonês, então, zere uma vez e customize a dublagem.
Se eu recomendo Super Street Fighter IV AE? É difícil, se você já tem o SSF IV, fique com ele, não é muito diferente, mas se não tem uma versão de Street Fighter IV, pegue essa aqui sem medo, pois é a definitiva. Ah, em dezembro agora, sairá uma nova revisão da Arcade Edition, intitulada Super Street Fighter IV Arcade Edition ver. 2012 (ou algo assim) nas redes on-line e será GRATUITA de acordo com a Capcom. A nota do jogo?
Nota Final: 10/10

Deixe um comentário

4 Comentários

  1. vou tentar baixar esse game essa semana, se bem que já tenho o SF 4 aqui já, mas o meu irmão quer o jogo. e você sabe se é dificil destravar esse Oni Akuma e Evil Ryu?

    Responder
    • Kyo

       /  2011/11/22

      O jogo já vem com todos os personagens desbloqueados, mas para tal, é necessário conexão com a live ou um crack

      Responder
  2. “você vai pausar naquele momento com a Chun-li, nem que seja no modo de Treino. NÃO MINTA PRA MIM, EU SEI QUE VOCÊ VAI!”

    prefiro a Cammy cara. e para pausar num momento “desses” sou mais jogando Dead or Alive com alguma das garotas(Kasumi ou a Lisa…ai,ai.) ou jogando KOF com a May. he,he,he.

    “A abertura do jogo deixou um pouco a desejar, mesmo (felizmente) não tendo EXILE na abertura, ficou meio estranha aquela sequência com Ken e Ryu trocando golpes.”

    você não gosta na musica “Indestructible” do EXILE???? é a música de abertura mais foda que ouvi num game de luta. vai ver você ouviu a versão japonesa dessa versão e concordo, é mediana. mas “Indestructible” deixa qualquer um na pilha para soltar uns hadoukens nos caras.

    gosto é gosto.

    e sobre RE 5…o game é bom. mas ainda sou mais do RE 1 até o Code Verônica. lá ainda dava medo de enfrentar um zumbi…

    Responder
  3. carloskate

     /  2012/03/15

    o Arcade edition nao tem o survive mode etc… ?

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s