Jogo da Semana #1 – Warhammer 40,000: Space Marine


 

 

 

 

 

 

Essa é uma nova coluna semanal, aonde recomendarei um jogo que estou jogando (poderá aparecer em futuros reviews), mas não terminei e está em curso, em um console, no meu PC novo ou no DS. Pra começar, vamos com um jogo recente, baseado (mais ou menos) numa famosa franquia de jogos de tabuleiro.
Warhammer em si é um jogo medieval (não o que estamos falando), que conta a história de batalhas entre diferentes espécies (Orcs, humanos, essa bodagaiada toda que conhecemos desde Lord of Rings e Dungeons & Dragons) e é jogado, como eu havia dito, com figures e tabuleiros. O jogo ganhou um MMO em torno de 2008 (Warhammer Online: Age of Reckoning, distribuido pela EA), não sei como anda a situação dele hoje em dia. Mas bem, vamos falar de Space Marines em si. Ah, e o próprio Warhammer gerou o Warhammer 40K

Warhammer 40.000: Space Marines
Produção: THQ
Desenvolvimento: Relic Games
Plataformas: PC/Xbox 360/Playstation 3

Do que se trata o jogo?


Trata-se da invasão do planeta Graia (Um planeta que produz equipamentos militares) pelos Orks, e no controle do Segundo Comandante dos Ultramarines, Captain Titus, devemos chutar as bundas dos inimigos e descobrir o que há por trás dessa pataquaiada toda. Sim amigos, isso é mais ou menos superficialmente a base do jogo, detalhes você pode encontrar na wikipédia.
Como é o jogo?


O jogo é uma mistura de shooter em terceira pessoa e hack’n slash (poucos elementos, mas possui), basicamente você deve matar tudo que se mexe e cumprir missões solo ou em grupo. A princípio, para um inapto em teclado/mouse é difícil se acostumar, mas os comandos básicos são simples, o clássico WASD para mover o personagem, mouse mira e o botão esquerdo atira, o botão direito é usado para ataques físicos, que são essenciais para poupar munição e conseguir recuperar sua barra de vida, pois combinado com a tecla [F] pode render finalizações que garantem um pouco de energia.
O protagonista é forte feito um touro, e sua armadura (que apesar do jogo ser futurista, é medieval) aguenta uma certa quantidade de dano antes dos danos chegarem a seus pontos de vida. E mesmo que sua armadura leve um bocado de dano, basta ficar um tempo sem levar dano (parado, longe da ação) que a armadura recupera sozinha (mas não os pontos de vida), o que dá um fôlego extra para o jogador aguentar as missões.

Por que o recomendo?
Bem, pessoalmente eu fiquei empolgado com Space Marine desde que vi os vídeos, e a ação dele é convincente, além de trazer uma ambientação bem bacana e junta dois tipos de jogo distintos para agradar ao jogador. E seus gráficos são bacanas, e mesmo o protagonista sendo parrudão, ele não fala arrotando que nem um certo Marcus Fênix… E sim, farei piadas com Marcus Fênix até o fim de minha vida. Voltamos semana que vem, com um jogo de DS, talvez… Ou falarei de outro jogo de outro console.


Post anterior
Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s