The World Ends With You (Nintendo DS)


O Gênero dos J-RPG’s está em decadência, pois enfrenta um dilema. Boa parte do público ocidental que acompanha o gênero desde a explosão Final Fantasy VII (mesmo havendo muitos rpg’s sensacionais antes deste, temos que admitir que FF 7 ajudou um bocado na popularização dos RPG’s japoneses) cresceu e basicamente não enxergou qualquer evolução na estrutura do gênero. É claro, que tivemos muitos bons J-RPG’s, mas o gênero enfrenta o mesmo problema dos FPS’s: Mais do mesmo. No meio disso tudo, o criador de Kingdom Hearts, Tetsuya Nomura, juntamente com o ilustrador Gen Kobayashi e o estúdio Jupiter, produzem uma das maiores pérolas do Nintendo DS em termos de RPG: The World Ends With You.

The World Ends With You

Produtora: Square-Enix

Desenvolvimento: Jupiter

Plataforma: Nintendo DS

Primeiramente, esqueça as convenções padrão de J-RPG como espadas, armaduras, cenários medievais. Tudo em The World Ends With You é contemporâneo, você é Neku, um garoto que desperta em Shibuya sem se lembrar de nada, nem o próprio nome e descobre que está num jogo. E logo que acorda, recebe a seguinte mensagem: “Vá até o 104. Falhe e será eliminado. Assinado, Os Shinigamis.” O jogo é dividido em capítulos, e em cada capítulo, o jogador terá um parceiro diferente e descobrirá aos poucos o que aconteceu, e como Neku foi parar em Shibuya. A história, como padrão de RPG’s da Square por si só já é capaz de manter o jogador grudado, mas será que o jogo se sai tão bem no resto.
A jogabilidade é complexa de explicar e simples de executar. Os elementos basicos de um RPG estão lá, quests, andar de um lado para o outro, matar monstros, equipamentos, armas, mas de uma maneira… Peculiar. Cada capítulo contém um parceiro para Neku e cada um tem um estilo único de combate. Mas antes de falar isso, explico a mecânica dos combates no parágrafo a seguir.
Você terá dois personagens para controlar, Neku na tela de toque e um parceiro (Que varia a cada capítulo) na tela superior. Neku pode equipar vários pins em quatro decks diferentes, e evoluí-los. Os Pins são de marcas diferentes, e ganham bonus de ataque conforme a região que você está (isso vale para os equipamentos também). Existem diversos tipos de pin e cada um se utiliza de um jeito. Não tem muito segredo, basta equipar aquele que mais se adapta ao seu estilo de jogo. O seu parceiro é controlado na tela de cima, o que o obriga a ter a atenção dobrada, pode-se usar tanto os direcionais, ou os botões de face do DS (se você for canhoto). Caso você queira controlar apenas Neku nas batalhas, pode colocar a opção Partner: AutoFight. Com alguns combos feitos pelo seu parceiro, habilita-se um super ataque com uma animação bacana e causa um bom estrago, mas as condições são sempre explicadas quando se tem um novo parceiro.
Os equipamentos do jogo são roupas, como o jogo reproduz Shibuya, o distrito pop de Tokyo; e elas, com suas marcas, também são influenciadas pelas Tendências de região. Uma coisa pessoal, é que levei um bom tempo para equipar as roupas no Neku (gastava meu dinheiro, mas ele não tinha atributos suficientes ou eram roupas pro parceiro). A comida também aumenta seus atributos, e elas levam um tempo para serem digeridas. Há toda uma complexidade sobre tais assuntos, mas eu levaria muito tempo explicando e isso prejudicaria o review. Um último ponto que eu gostaria de explicar, é que enquanto você não o joga (a partir de um ponto) no período de até uma semana, você ganha experiência para evoluir seus pins.
Graficamente é muito bonito, juntando o design de Tetsuya Nomura com a arte de Gen Kobayashi, Shibuya transpira vida e tribos, pra quem costuma frequentar a galeria do Rock é mais ou menos a mesma sensação (ou pelo menos era antes da era dos coloridos) de variedade de gostos. Os sprites são bem feitos, e as poucas animações que tem são ótimas. Acho que em 2d é um dos jogos mais bonitos de DS.
A trilha é muito boa, composta por basicamente J-Pop, e mesmo assim não enjoa ao longo do tempo, pois as músicas vão variando conforme o andar do jogo. Interessante que não modificaram a trilha do jogo para o lançamento ocidental, como fazem com muitos jogos. A pouca dublagem que existe no jogo não é perfeita, mas dá pro gasto.
Finalizando, The World Ends With You é uma experiência única em termos de JRPG e tem conteúdo o suficiente para mantê-lo entretido por um bom tempo. Salvo pequenas falhas, é um RPG obrigatório para os donos de DS.
The World Ends With You

Produtora: Square-Enix

Plataforma: Nintendo DS

Nota: 96/100
Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s