Prepare to fight!


Após a longa ressaca de fim de ano, acá está o primeiro review de game do ano. Demorou e por isso, vou começar com um jogo que teria o review no ano passado, mas coisas da vida aconteceram e eu não tinha animo para escrever e ainda mais um jogo que “brinca com a morte”.

Introduções a parte, para o pessoal da minha época lembra de quando chegamos nas casa de fliperama/bar e vimos o que queria ser o concorrente do Street Fighter, depois do King of Fighters, com aquela violência tão real. Com gráficos “reais” e pura sanguinolencia, chegava o jogo chamado Mortal Kombat. Com orçamento precário, muita coisa foi improvisada com os panos sendo mascara para os ninjas por exemplo.

Não irei falar desse clássico, mas sim do último Mortal Kombat “real” até a chegada do próximo Mortal Kombat xerox de Super Street Fighter IV, Mortal Kombat Armageddon [PS2]. Lançado em 9 de Outubro de 2006, MKA chega como uma compilação (similar ao Mortal Kombat Trilogy, lembra? Não? Então Now Loading sua memória …)

Sua op resume a história: Com os guerreiros ficando fortes demais para serem manipulados, os Elder Gods enviam um guardião para absorver os kombatentes sedentos por sangue. Surge uma enorme cratera em Edenia e sem muito alarde, surge uma enorme pirâmide do solo e envolta de muito fogo. No topo encontra-se Blaze, e os heróis e vilões partem para a escalada derradeira …

Gráficos

O jogo possui belos gráficos, tanto na retratação dos personagens quanto nos cenários. Desde que virou 3D (mas sem contar o 4 por manter um pouco dos atores), Mortal Kombat sempre recebeu críticas nesse aspecto, já que os atores era uma marca registrada da série. Os personagens normais, ficaram bem feitos, a anatomia dos maiores e ficticios como Goro e Kintaro, ficam menos estranhas, visto que seus 4 braços geram muitos pensamentos para suas anatomias e assim, parecer “natural”

Os cenário são tão belos quanto mortais. Alguns tem apenas mudança critica, enquanto outros podem gerar vitória automática se o o adversário foi jogado no lugar certo, como na esteira com o rolo de espinhos, na lava e por ai vai.

Jogabilidade

Com a mudança de estilo da série, sua jogabilidade foi quem mais sofreu. Sim, é terrível se acostumar ao novo estilo para quem veio da old school de golpes baixos e altos, bloqueio e corrida. Simples não?

O “novo” gameplay é estranho, na tentativa de não virar Tekken ou Virtua Fighters, Ed Boon se perdeu nesse ponto. Um botão que é soco, pode virar chute dependendo da ação. Golpes com armas são fortes porém muitas vezes mais atrapalham que ajudam, mas quando acertam levam um bom life rival.

Cada lutador chega a ter 1 a 2 estilos de luta, sem contar quando troca para arma, gerando novas táticas e mais pesadelos com golpes. Ao mesmo tempo que algumas coisas ficam chatas, outras ficaram mais simples como o Bicycle Kick de (Zumbi) Liu Kang, comando clássico do Hadouken com X.

Ai você se pergunta, se os comandos estão assim, então voltamos a ter Fatality com comandos de Brutality do UMK3? Não! Agora temos Fatality sequencial e difícil de acertar as sequências porém, acertar o fatality está bem fácil agora.

Som

As músicas das Arenas são boas, seguindo bem o clima musical que sempre envolveu a série. Destaque vai para a dublagem no modo Konquest.

Replay

O foco do fator replay fica por conta dos “extras” como o Motor Kombat e o Konquest. No Motor Kombat, temos a versão Jogos Mortais de Mario Kart estrelado pelos personagens de MK como Baraka, Sub-Zero, Scorpion, Kitana e outros. Já o modo Konquest, é um modo de aventura na qual você no papel de Taven terá de derrotar Blaze. No meio da jornada, você recolhe itens e dinheiro e os artefatos. Conforme completa uma linha, um segredo é liberado no jogo.

Finnish Him

Finalizando, MKA é o melhor do Mortal Kombat em 3D. Deadly Aliance foi um capitulo negro com a morte de Liu Kang, Deception o título diz tudo. Muitos dizem que o Deception é melhor que o Armageddon mas considero isso muito dificil de ser aceito após jogar ambos.

Prós

+ 63 Personagens a escolha, tá bom ou quer mais?
+ Fatalities simples de se executar
+ Konquest mode melhorado
+ Arenas literalmente mortais
+ Kreat a Kombatent

Contras

– Gameplay fraco
– Custom Fatality dificil de sair
– Konquest Mode por mais legal que seja, consegue se tornar um pesadelo

Gráficos: 8,7; Jogabilidade: 6,4; Som: 7,9;  Replay: 9,2; Nota Final.: 8,3

Deixe um comentário

1 comentário

  1. Kyo

     /  2011/02/06

    Exexutar fatalities no modo Konquest não tem preço em MKA, hahaha… Embora eles se tornem repetitivos em jogue tal personagem no Espinho ou Rasgue-o no meio.

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s