Wonder Boy (Arcade/Master System)


Wonderboy
Produtora: Sega
Desenvolvimento: Escape
Jogadores: 1/2
Plataformas: Arcade/Sega Master System
Gênero: Side Scroller

Em 1986, a Sega (que era, aliás hoje ainda é uma potência nos arcades), lançou um joguinho que seria muito, mas muito copiado mesmo (Adventure Island, Turma da Mônica, Dynasty Hero – esse é do PC Engine – e os hacks do NES que incluem desde um carinha pelado – Ugh! – até um Sonic feio pra burro… Eu juro, inclusive esse do Sonic eu coloquei no emulador de NES no Dreamcast, mas isso é outra história), enfim, o jogo se chama (se você entendeu no Adventure Island, sabe de que jogo falo) Wonder Boy e acredite, mesmo tendo quase 25 anos, ainda continua muito, mas muito divertido mesmo. Vamos embarcar na máquina do tempo.

O Jogo
Sua namorada foi sequestrada por um Monstro DO MAAAAAL, e como se trata do Japão, a primeira coisa que nos vem a mente é que o tal monstro quer a sua namorada para estrelar aqueles Hentais escrotos de tentáculos (Gosto de Hentais, mas com pessoas, sabe?), mas como o jogo é dos anos 80, creio que o monstro estava triste e sozinho, e a sequestrou porque queria se casar com ela e apenas espirrar a maionese na esfiha dela de maneira respeitosa… Bem, aonde eu estava mesmo? Ah, sim, o monstro DO MAAAAAAL sequestrou a sua mina. E como todo cabra macho de games dos anos 80, você irá chutar a bunda do canalha que fez isso, mas sua tarefa será bem difícil, pelo menos se você não tiver um joypad… Caramujo maldito!

Jogabilidade
Side Scroll puro, você tem apenas dois botões, um para pular e um corre/atira martelo. No arcade, basta estar em movimento para pular alto, na versão Master System é preciso estar correndo para pular alto, caso contrário, o pulo será um tanto baixo e isso acrescenta em muito na dificulade do jogo, que em geral é mediana e a não ser que você seja um ornitorrinco russo, conseguirá jogá-lo de boa (principalmente se tiver um joypad no PC), mas daí a terminá-lo são outros 500, pois essa dificuldade mediana é crescente no decorrer das fases. (Cada fase é dividida em 4 atos que é dividido em 4 partes) No fim do último ato da fase, você encara um mestre… Que basicamente se repete, mudando a cabeça.
Gráficos:
Tudo é muito colorido, os sprites no arcade são bem grandes e os cenários são lindos de se apreciar. O ponto contra é que eles são muito repetitivos, no meio do jogo você vai estar com a sensação de “… Já passei por aqui…” “… Mas de novo esse lugar?…” “Porra, mas eu já passei dessa fase!” No Master System, obviamente tivemos perdas, devido a diferença de hardware, mas ainda assim, está tudo lá, mesmo com sprites óbviamente menores os cenários e o sprite do personagem está igualzinho o do Arcade. Detalhes das Hud’s (marcadores de vida/ponto) foram simplificados (pontos e vida são mostrados no início de cada jogada e entre fases) e algumas coisas, como as pedras estão menores do que a versão arcade. Curiosamente, a versão de Master é um pouco mais rápida que a de Arcade, o que é uma surpresa e um pesadelo em trechos de gelo.

Sons:
É um ponto forte e ao mesmo tempo fraco. As músicas (na verdade temos três ou quatro músicas) são empolgantes, porém se repetem em todas as fases, um fato que me fez gostar muito das músicas de Wonderboy, foi a da fase de Boss (quarto ato), que realmente me deu calafrio na espinha. Imagina você jogando nas 3 primeiras fases, acostumado com o jingle de entrada+música alegrinha, e após o jingle de entrada do quarto ato, se depara com uma música meio que de suspense, tendo a mesma característica do jogo, porém o fazendo temer e ir um pouco devagar na fase. E sério, poucos jogos conseguiram me passar essa atmosfera. Na versão de Master, as músicas foram bem reprogramadas e estão fiéis a versão de Arcade, mesmo sendo um pouco diferentes (mais uma vez devido as diferenças de hardware). No geral, elas ajudam a se habituar a um ambiente normal, um ambiente mais perigoso e a batalha contra o boss.

Finalizando:
Wonder Boy é um jogo que merece ser apreciado e é bem superior a sua cópia feita pela Hudson (Adventure Island) e é uma pena que não tenhamos mais tantos jogos simples assim que desafiam o jogador a evitar obstáculos que o levem a morte (e praticamente tudo que se mexe na tela pode te matar, exceto os abismos, já que estes é VOCÊ quem se mexe em direção a ele) e recompensem pela pontuação. Os jogos deviam ter mais pontos e menos saves… Deve ser por isso que gosto tanto de shmups, pois eles tem esse sistema até hoje (Embora em Giga Wing Generations isso seja exagerado, sendo possível fazer um caralhilhão de pontos), mas enfim, caro visitante… Jogue Wonder Boy e jogue AGORA! Se possível a versão Arcade, mas se você é tão preguiçoso a ponto de não ter saco pra baixar o MAME (eu também sou, relutei muito em fazê-lo, mas Wild West – C.O.W. Boys of Moo Mesa e Arabian Fight, além de outras coisas bem bacanas valem a pena o esforço), joguei a versão de Master que é igualzinha.

Nota: 8/10

Segue abaixo galeria de fotos de ambas as versões:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe um comentário

4 Comentários

  1. Gosto muito desse jogo, porém não tenho mais paciencia!
    Anteriormente conseguia passar horas jogando, será a velhice batendo a minha porta!?

    Bem de qualquer forma, muito bom o jogo, e excelente analise😉

    Responder
  2. Alias, muito bom o novo design, mas gostava mais da cor preta, hahahahaahahah!

    Abraço😉

    Responder
  3. Renata

     /  2010/07/08

    Amooo esse jogo, como faço para baixar….??? Obrigada!!!

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s